..::: Rádio Frequência :::...

Topo em flash

Agora na 89.3FM


Revista Frequência

Revista Frequência
08:00h até 10:00h. Uma revista no seu rádio! + Saiba mais

Notícias


Imbituba FC

Primeiro voo será neste mês

Quatro empresas de aviação já tem contrato assinado para operar em Jaguaruna, com escalas para todo país..


A possibilidade de desenvolvimento da região com a funcionalidade do Aeroporto Regional Sul Humberto Ghizzo Bortoluzzi, em Jaguaruna, é uma realidade esperada há anos pela sociedade da região. Representantes da RDL construtora - que venceu o processo licitatório para administrar o local - garantiram, nesta sexta-feira, ao secretário regional em Tubarão, Estêner Soratto Júnior, que até o fim deste mês ocorrerá o primeiro voo experimental com um avião de grande porte.
 
“Essa é uma realidade que está a cada dia mais perto. A empresa está focada no funcionamento o mais rápido possível. Na próxima semana, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai realizar a última vistoria para a liberação da licença”, aguarda Soratto. 
 
Quatro empresas de aviação já assinaram contrato para operar no aeroporto: Gol, TAM, Azul e NHT, essas duas últimas tem previsão de começar a decolar em até 90 dias. As empresas Gol e TAM iniciam a operação depois da ampliação da pista. “A ampliação para 45 metros inicia no próximo mês e é um serviço rápido”, segundo Soratto. Depois dessa ampliação, a Gol e a TAM também começam a operar.
 
O alargamento da pista de 30 para 45 metros é necessário para receber aviões como Airbus 320 e Boeing 767.
 
De acordo com Soratto, a RDL já atua no aeroporto com um investimento grande na estrutura, justamente para deixar tudo pronto o mais rápido possível.
 
As etapas do aeroporto
O Aeroporto Regional Sul começou ser construído em junho de 2002. O investimento total foi de R$ 60 milhões. Em termos de obras, está tudo pronto para funcionar, com exceção da mobília. A pista, primeira etapa da obra, concluída em 2006, tem 2,5 mil metros de extensão e 30 metros de largura, e agora será ampliada para 45 metros.
 
Isso será possível porque o empreendimento está entre os 13 aeroportos regionais de Santa Catarina que receberão recursos do governo federal para melhorias em infraestrutura. A segunda etapa foi a construção do terminal de passageiros, iniciada em fevereiro de 2009 e inaugurada em dezembro de 2010. 
 
A terceira parte da obra foi a abertura e pavimentação asfáltica do acesso via Sangão, a partir da BR-101, também já concluída. Os bombeiros militares instalaram-se oficialmente no aeroporto no início de maio deste ano. O comandante do grupo será o sargento Osvaldo da Silva Filho. Serão cinco homens revezando-se na guarnição do local. A expectativa é de 15 bombeiros assim que o aeroporto funcionar.
 
Licitações suplementares
A previsão é que o Aeroporto Regional Sul em Jaguaruna entre em efetivo funcionamento em um período mínimo de quatro meses. Neste prazo, a empresa precisa articular uma série de investimentos para que a estrutura seja a adequada. Um dos pontos a ser transposto é o lançamento de uma série de licitações públicas, a fim de concretizar a cessão dos espaços destinados a taxistas, lojas e lanchonetes, entre outros serviços necessários para atender a demanda de passageiros e funcionários que circularão pelo aeroporto. 
 
Crescimento ordenado
Outra questão importante a ser considerada em relação ao funcionamento do Aeroporto Regional Sul é a necessidade de confeccionar um Plano Diretor para o empreendimento. Além de nortear a gestão do local, o documento também servirá para organizar os arredores do terreno, o que evitará que toda a microrregião cresça de forma desordenada.
 
R$ 17 milhões
Esta é a quantia que a RDL construtora, administradora do aeroporto, sinalizou em investimentos para a construção do terminal de cargas e a recuperação da estrutura. Para o secretário de desenvolvimento regional em Tubarão, Estêner Soratto Júnior (PSDB), a concretização desta estrutura, inicialmente prevista no projeto principal, é um grande avanço para o desenvolvimento da região. “Isso é o tão sonhado desenvolvimento que vira realidade, principalmente falando sobe o terminal de cargas que é necessário para atender a demanda da região”, valoriza.